Normalização da Consciência Coletiva – Despertando o Poder da Alma

grabovoi

É hora de despertar o PODER DA ALMA; permitir um futuro através desse despertar, uma estruturação da consciência, uma purificação da alma e, assim, elevar nossa frequência, dar saltos quânticos e mudar a consciência coletiva.

A mente humana que está associada à alma é tão poderosa que pode criar todas as ideias, para curar a si mesmo, transformar o negativo e controlar eventos. A alma tem toda a informação e conhecimento, é a nossa esfera informativa que está diretamente ligada à esfera de informação do Divino.

Cada um de nós pode ser uma parte de uma mudança positiva para a evolução da consciência que acontece primeiro em nós. A todo instante nós tomamos pequenas ou grandes decisões; nosso ser ressoa essas vibrações que são os nossos pensamentos, sentimentos, palavras e ações.

Cada pensamento nosso, a decisão deve ser baseada no amor (não o amor como uma reação química no nosso corpo, mas o verdadeiro significado do amor = luz, conhecimento), mas também pode ser baseada no medo (escuro = supressão do conhecimento e manipulação).

Entramos na era das grandes mudanças da consciência e de ver o mundo em sua verdadeira realidade; entramos na nova era de maior conscientização, mudamos a nossa consciência sobre a frequência múltipla para no final elevarmos espiritualmente.

Comece a trabalhar dentro de si mesmo, estruture sua consciência, abra seu coração, quanto mais tempo você gasta em contato direto com a natureza, com pessoas positivas, mais o nosso planeta e todo o universo novamente serão governados em Equilíbrio, Paz, Prosperidade para todos, porque acordamos do sono vicioso e o homem percebe que ele é intrinsecamente Um com todas as pessoas, com o planeta Terra e com Deus!

Fonte: Texto – Site NORMA CENTAR

One Reply to “Normalização da Consciência Coletiva – Despertando o Poder da Alma”

  1. Gostei do teu post, muito legal teu ponto de vista. Eu tenho um website sobre este mesmo assunto, acesse ele mais tarde. Abraços!

Leave a Reply